Apresentação

O Encontro "Ler e Formar Leitores no Século XXI: Bibliotecas em Mudança" visa a criação de um espaço de reflexão e debate sobre as mudanças vividas pelas bibliotecas escolares e pelos sistemas bibliotecários, em geral, face à evolução tecnológica e às transformações que atualmente atravessam a sociedade, a cultura e a educação.

  • As bibliotecas estão a converter-se em espaços físicos e virtuais de leitura e informação, disponibilizando livros impressos e eletrónicos, recursos digitais, dispositivos móveis, Wi-Fi e serviços em presença e 24/7, mas o acesso cada vez mais facilitado a estes meios também obriga à formação para o seu uso competente e responsável, obrigando as bibliotecas a assumirem, paralelamente, uma intervenção crescente nos domínios da formação leitora e do desenvolvimento das literacias digitais.
  • A emergência de uma cultura participativa em que os utilizadores são parte ativa dos sistemas de informação e são, eles próprios, produtores de informação, influencia o aparecimento nas bibliotecas de novos espaços de criação, apetrechados com tecnologias e ferramentas para a produção gráfica e a captação, edição e partilha de imagem, vídeo, som e outros produtos mediáticos, através dos quais é dada oportunidade à imaginação, criatividade e expressão individual dos seus diferentes públicos.
  • Face à ubiquidade da informação, as bibliotecas estão a evoluir e a tornar-se espaços convidativos, flexíveis e multifuncionais de acolhimento, encontro, socialização e realização de iniciativas múltiplas (clubes de leitura, oficinas, eventos culturais, exposições, concertos, palestras, performances, etc.), em que são conjugadas diferentes formas de ocupação do espaço (individual, em pequeno grupo e em grande grupo) e coabitam diferentes atividades livres e orientadas (leitura, pesquisa, produção, comunicação, estudo, trabalho, convívio, lazer, etc.).
  • Perante a ameaça da infoexclusão, são as bibliotecas que mais combatem as desigualdades no acesso à informação e ao conhecimento, afirmando-se como lugares, por excelência, de inclusão social e de promoção da igualdade de oportunidades, livres, gratuitos e abertos a todos. Estudos sucessivos continuam a demonstrar a relevância das bibliotecas na resposta aos objetivos e às metas curriculares, educativas e formativas das escolas e das instituições e o seu valor inequívoco para o sucesso pessoal, escolar e profissional, a liberdade e a cidadania.
  • A globalização e a comunicação instantânea facilitada pelos ambientes e redes sociais alargam o sentido de comunidade e facilitam a abertura a outras organizações que, com as bibliotecas, prosseguem fins informativos, educativos e culturais (museus, arquivos, empresas, fundações, órgãos de comunicação, instituições públicas, etc.), mobilizando novos recursos, sinergias e oportunidades. Para enfrentar as exigências e os desafios colocados pela indústria e comércio do livro e das tecnologias digitais, as bibliotecas estão a unir-se em consórcios, a desenvolver novos modelos de negócio, a criar outros serviços, a partilhar recursos e a implementar políticas e estratégias comuns de ação, reconfigurando os tradicionais conceitos de rede e cooperação.
  • As bibliotecas acompanham, facilitam e são uma força catalisadora de mudança e inovação. Os profissionais que trabalham nas bibliotecas são uma peça chave nesta mudança, sofrendo, também eles, uma transformação significativa dos seus perfis e formação, de modo a responder às exigências que a nova sociedade da informação e do conhecimento lhes coloca.

O desenvolvimento contínuo e sustentado das bibliotecas e uma visão de futuro que oriente o seu caminho são indispensáveis. A reflexão proporcionada por este Encontro procura contribuir para esta finalidade, ajudando a compreender os processos de mudança em curso e a perspetivar o trabalho e as responsabilidades que neste processo a todos cabem.